Translate

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

ISCRC VISCONDE DE MAUÁ 77
SESSÕES DE INSTRUÇÃO DOS GRAUS 4 E 9
AO VALE DE CAXIAS DO SUL
No sábado dia 27.09.14 as 08:30 horas o Valoroso Mestre Ir.´. Ernesto Lecey, tendo ao seu lado esquerdo o Ilustre Ir.´. Sandro da Cruz, declarou aberto os trabalhos do Ilustre e Sublime Capitulo Rosa Cruz Visconde de Mauá 77, em sessão  de instrução do grau 9 (mestre da Justiça) ao vale de Caxias do Sul.
Conforme programado no tempo de estudo o Ilustre Ir.´. Hermes Machado, apresentou o seu trabalho com o tema "CORAGEM" , em seguida o Ilustre Ir.´. André Dalathea, apresentou o seu trabalho com o tema "O Mestre da Franqueza".
Após cumprida todas as formalidades os trabalhos foram encerrados e feita a tradicional fotografia para registo.
As 10 horas o Valoroso Mestre Ernesto Lecey, tendo ao seu lado esquerdo o Ilustre Ir.´. Sandro da Cruz, declarou aberto os trabalhos da Loja complementar em Sessão do grau 4.
Conforme programado, foi refeita toda a sessão de iniciação de mestre da discrição, sendo que o Ir.´. Marco Madalosso, fez as vezes do Ir.´. a ser iniciado, desta forma todos os presentes puderam estudar mais a fundo a iniciação.
No uso da palavra o Ir.´. Evandro Lecey, falou a respeito da campanha Lenço Solidário, do Capitulo Luz do Poente 27, da Ordem da Estrela do Oriente. Os irmãos presentes aceitaram o desafio e já se engajaram na campanha, sendo que os lenços ali arrecadados serão destinados para o Hospital Geral. 
Após  as sessões todos os presentes saborearam um delicioso galeto, ocasião em que se aproveitou para colocar a conversa em dia, em seguida a comitiva de Porto Alegre, composta pelos IIr.´. Ernesto Lecey, Manoel Laquito Leães e Evandro Lecey, retornou para Porto Alegre.
Fotografias Sandro da Cruz
Texto Evandro Lecey


sábado, 27 de setembro de 2014

A\R\L\S\ 
SENTINELA DO PIRATINI 4271
SESSÃO MAGNA DE INICIAÇÃO 
Na última terça-feira, dia 23.09.2014 às 18 horas o ilustre Venerável Mestre Ir\ André Luis Torre Dambros, declarou aberto os trabalhos da A\R\L\S\ Sentinela do Piratini 4271 em Sessão Magna de Iniciação. Após os tramites Ritualísticos foram iniciados os agora IIr Asteroide Cardoso da Silva Sandro Linhares da Silva e William Idiart Rodriguez.

O Eminente Ir\ Claudio Scandolara, Presidente da PAEL RS em seu pronunciamento lembrou o último grande feito liderado por maçons, a Revolução Farroupilha e frisou aos recém-iniciados “que devemos aprender a viver em comunidades, pois assim é a vida maçônica e que agora os senhores terão um longo caminho a percorrer e que para seguir em frente é preciso aprofundar raízes dentro do conhecimento maçônico. Sejam Bem Vindos”.

 Texto e Fotografias Ir.´. Marcio "Gente Fina".




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

ANÁLISE DO HISTÓRICO, FORMAÇÃO E LEGISLAÇÃO DAS 
GRANDES LOJAS UNIDAS DA ALEMANHA
 Fabio R. Pedro-Cyrino, M.I., 33 REAA, 9 RM 

As Grandes Lojas Unidas da Alemanha, ou em alemão, Vereinigte Großlogen von Deutschland (VGLvD) é a reunião das cinco Grandes Lojas regulares da Alemanha, e é reconhecida como Obediência regular pelas Obediências regulares internacionais, incluindo-se a Grande Loja Unida da Inglaterra. A Obediência possui aproximadamente 470 lojas simbólicas e um total aproximado de 14.100 maçons. Em 27 de abril de 1958, a Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha (organizada em 19 de junho de 1949, em Frankfurt) e a Grande Loja dos Maçons da Alemanha (originalmente fundada em 1770) realizaram um tratado de União (não Unificação) formando a Vereinigte Großlogen von Deutschland (VGLvD), através da assinatura e da adoção de um tratado denominado “Magna Carta dos Maçons Alemães”. Em 1970, a Grande Loja Nacional dos Três Globos, a Grande Loja Provincial dos Maçons Britânicos e a Grande Loja Provincial Américo-Canadense uniram, tornando-se também signatárias da Magna Carta. A concretização dessa Obediência só foi possível através do acordo mútuo de criação de uma Obediência única para as questões de representação internacional. Hoje a VGLvD possui relações de reconhecimento com cerca de 180 Grandes Lojas regulares em todo o mundo. A VGLvD representa a Maçonaria Alemã junto às Obediências estrangeiras e junto ao público alemão. As Grandes Lojas constituintes são autônomas referentes à sua administração particular, aos seus assuntos internos e às práticas ritualísticas. A VGLvD é soberana quanto aos assuntos internacionais, emitindo quatro comunicados externos à Obediência sobre temas referentes à Maçonaria e à política nacional alemãs. Diferentemente das outras Grandes Lojas internacionais, o Grão-mestre da VGLvD é apenas representativo, sendo que todas as decisões são tomadas através de um “Senado” constituído por representantes de cada uma das Grandes Lojas alemãs, sendo cinco membros da Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha, três membros da Grande Loja dos Maçons da Alemanha e um membro para cada uma das demais Grandes Lojas. As decisões internas do Senado devem ser tomadas por uma maioria de quatro quintos dos membros. O Grão-mestre e a administração da VGLvD não votam. A estrutura administrativa da VGLvD é formada por um Grão-mestre e um Grão-mestre adjunto, propostos pelo Senado para um mandato de três anos, ratificados pela “Convenção”, que é a reunião das Assembléias de cada uma das Grandes Lojas. Fica a cargo do Grão-mestre a nomeação de um Grande Secretário e um Grande Tesoureiro, bem como os membros da Comissão dos Negócios Estrangeiros e do Gabinete de Relações Públicas. A nomeação desses Oficiais precisa ser ratificada pelo “Senado”. A “Convenção”, que é a reunião das Assembléias de cada uma das Grandes Lojas, reúne-se a cada três anos, em Berlim, apenas para ratificar o mandato do Grão-mestre e do Grão-mestre adjunto, indicar os membros ao “Senado”, além de ratificar as comunicações exteriores, as decisões do “Senado” e as eventuais alterações na legislação da VGLvD.

Há um Conselho da Suprema Corte, cuja função é a de analisar as questões não resolvidas por consenso na “Convenção” ou no “Senado”.
A VGLvD tem sido a responsável pelo reerguimento da Maçonaria na Europa Oriental, sendo a responsável direta pela fundação e/ ou o reerguimento da Grande Loja Unida da Bulgária, em 1997, da Grande Loja da Lituânia e da Grande Loja da Letônia, em 2003.

HISTÓRICO DA FORMAÇÃO
Após o término da Segunda Guerra Mundial, a Maçonaria na Alemanha rapidamente se reergueu, apesar da profunda diminuição do número de seus membros, em virtude das perseguições empreendidas durante a guerra. Era consenso que o antigo sistema de onze Grandes Lojas independentes que existia no pré-guerra não era mais viável, principalmente pela falta de unidade e pela falta de reconhecimento internacional. Uma eventual unificação também era inviável em função dos diversos sistemas particulares de cada Grande Loja, bem como as práticas ritualísticas.

Em 19 de junho de 1949, 151 lojas alemãs se reuniram em Frankfurt e fundaram a Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha, entretanto as lojas remanescentes da Grande Loja Nacional, em Berlim, não participaram dessa fundação, por seus membros se reunirem em torno do Rito Sueco e adotarem práticas administrativas diversas. Em virtude disso, reuniram e reergueram a Grande Loja dos Maçons da Alemanha.

Apesar disso, a ideia de uma união não foi abandonada e as tratativas ente as duas Grandes Lojas continuaram. Em 1958, as tratativas tiveram término e conduziram à formação das Grandes Lojas Unidas da Alemanha, ou em alemão, Vereinigte Großlogen von Deutschland (VGLvD). Na “Convenção”, que formou as Grandes Lojas Unidas, havia 264 lojas da Grande Loja dos Maçons Antigos, Livres e Aceitos da Alemanha e 82 lojas da Grande Loja dos Maçons da Alemanha. As bases para a UNIÃO foram estabelecidas por uma Magna Carta que determinava as características das Grandes Lojas Unidas, e que mantinha a independência administrativa, financeira e ritualística de cada uma das Grandes Lojas formadoras. As relações exteriores e a posicionamento político da Maçonaria Alemã seria restrita à VGLvD. Um “Senado” foi constituído com representantes de cada Grande Loja, proporcionalmente ao número de Lojas, limitados a cinco representantes.

Havia ainda a situação da Grande Loja Nacional dos Três Globos, da Grande Loja Provincial dos Maçons Britânicos e da Grande Loja Provincial Américo-Canadense, estas últimas formadas após o término da Guerra elas tropas estacionadas em território alemão. Em 1970, uma emenda à Magna Carta foi realizada, autorizando o assento dessas Obediências no “Senado”, com 2 representantes cada. É neste ano que a Maçonaria alemã definitivamente encontra-se unida (não unificada) com um sistema único de cinco Grandes Lojas independentes unidas através da VGLvD.

Cada Grande Loja constituinte concedeu poderes à VGLvD para:
1. Proceder aos processos de reconhecimento estrangeiros;
2. Proceder a eventuais contratos e inclusões de novas Grandes Lojas;
3. Determinar regras e regulamentos para os contatos maçônicos e definir posicionamentos comuns, ratificadas na Convenção trianual, a serem seguidos por cada uma das Grandes Lojas constituintes.
4. Conceder poderes ao Grão-mestre e à administração, bem como ao Senado, limitando-os aos regulamentos determinados e previstos na Magna Carta.

ESTRUTURA DA MAÇONARIA ALEMÃ
A melhor descrição para a VGLvD é a de uma confederação de Grandes Lojas, unidas (não unificadas) em torno de um corpo soberano para toda a Alemanha. A união originalmente foi pensada para se obter dois objetivos básicos: primeiro, facilitar os processos de reconhecimento para a Maçonaria Alemã após o término da Segunda Guerra Mundial; segundo, para unir os diferentes sistemas maçônicos existentes na Alemanha sob uma estrutura comum, organizada sob uma constituição, denominada Magna Carta, cujos pontos evoluíram para um sistema confederado.

A Magna Carta desde sua implantação em 1958 já foi emendada várias vezes e é através desta que os interesses da Maçonaria Alemã são aplicados, seja internamente à Ordem Maçônica, ou ao mundo profano. A Magna Carta determina claramente que todas as cinco Grandes Lojas são autônomas e livres quanto aos seus assuntos internos. Determina também as regras para o “Senado” e para a “Convenção” e os regulamentos para a eleição da administração, composta pelo Grão-mestre, seu adjunto, um Grande Secretário e um Grande Tesoureiro, sendo estes os únicos membros do corpo diretivo, não sendo constituído nenhum outro Oficial. A administração é denominada “Grossmeisteramt” (Bureau do Grão-mestrado). Como já informado, o órgão governamental é denominado “Senado”, composto por membros eleitos ou apontados por suas respectivas Grandes Lojas, baseados na proporcionalidade de representação. O Senado pode constituir comitês e/ ou comissões provisórias para assuntos específicos.

Uma vez que a VGLvD é a Obediência reconhecida internacionalmente, qualquer comunicação de e entre as suas Grandes Lojas constituintes deve ser expedida sob o controle da VGLvD. É função também da VGLvD garantir que todas as Grandes Lojas mantenham sob suas jurisdições lojas simbólicas trabalhando sob os princípios internacionais de regularidade.

Ao longo dos anos, a VGLvD, com a autorização das cinco Grandes Lojas, tem empreendido estudos de modo a normatizar e uniformizar determinadas práticas e procedimentos maçônicos, estudos estes realizados pelo Bureau do Grão-mestrado e pelo Senado.

A Convenção é a reunião regular para as Comunicações da VGLvD, sendo realizada a cada três anos com o propósito de se eleger o Bureau do Grão-mestrado e ratificar as decisões legais e administrativas do Senado. Cada loja simbólica tem direito a um voto na Convenção, sendo exercido pelo Venerável Mestre ou por um delegado-representante indicado por cada Loja. O Bureau do Grão-mestrado determina, em conjunto com o Senado, quando e onde a Convenção será realizada, sendo normalmente realizada em Berlim, a sede da VGLvD.

A realização de uma Convenção extraordinária por ocorrer a qualquer tempo, mas usualmente dedicada a assuntos de cerimonial, sendo que as questões legislativas devem ser tratadas exclusivamente na Convenção regular, realizada a cada três anos.

O Conselho da Suprema Corte decide independentemente as questões de ordem maçônica, quando todos os meios legislativos ou oriundos do Senado são esgotados, sendo constituída por um conselheiro para cada uma das Grandes Lojas constituintes.


A PROPOSTA PARA UNIÃO DA MAÇONARIA BRASILEIRA
Desde a década de 1920, quando a primeira cisão efetiva na Maçonaria Brasileira ocorreu, a questão da reunificação da Maçonaria é um tema proscrito nos círculos administrativos de cada Obediência. Com a cisão da década de 1970, a questão tornou-se mais complexa ainda.

Considerando-se a estrutura atual da Maçonaria Brasileira temos:
1. O Grande Oriente do Brasil, com 27 Federados;
2. A CSMB, Confederação da Maçonaria Simbólica Brasileira, com 27 Grandes Lojas Estaduais independentes entre si, fundadas a partir da cisão da década de 1920;
3. A COMAB, Confederação Maçônica do Brasil, com 20 Grandes Orientes Independentes, fundados a partir da cisão da década de 1970.

Os grandes empecilhos, quanto a uma Unificação nos moldes da ocorrida na Grande Loja Unida da Inglaterra, em 1813, são questões referentes à administração e estrutura internas, às práticas ritualísticas e à questão do patrimônio de cada Obediência.

Considerando-se o Grande Oriente do Brasil como Obediência única e todos os integrantes da CMSB e da COMAB, já acima elencadas, a solução é uma União nos moldes da VGLvD, conservando-se o conceito de independência administrativa, patrimonial, ritualística e de estrutura, com a criação de uma Obediência responsável pelo reconhecimento internacional e responsável pelas manifestações da Maçonaria Brasileira frente às questões nacionais, criando-se com isso um discurso único e representativo. Entretanto, devido às dimensões da Maçonaria Brasileira, algumas adaptações deverão ser realizadas na estrutura dessa Obediência, que para fins de exemplificação adotará a denominação de “Maçonaria Unida do Brasil”.

O modelo alemão quanto à organização não se adequaria ao cenário brasileiro, uma vez que a eleição para o cargo de Grão-mestre da “Maçonaria Unida do Brasil”, como o que ocorre na VGLvD, seria inviável, pois temos além do Grande Oriente do Brasil, mais 27 Grandes Lojas Estaduais e 20 Grandes Orientes Independentes. Ademais, as crises da década de 1920 e 1970, que resultaram nas cisões já conhecidas, tiveram como pano de fundo o processo eleitoral ocorrido no Grande Oriente do Brasil.

Outro ponto a ser considerado seria a questão da reunião da Convenção: uma reunião com os representantes de cada uma das Lojas Simbólicas seria fisicamente inviável, pois representaria mais de 20.000 representantes reunidos.

Deste modo, em face de facilitar o processo de governo e evitar transtornos posteriores, propomos a seguinte estrutura para a “Maçonaria Unida do Brasil”:

Bureau do Grão-mestrado Unido:
Constituído por:
Grão-mestre Unido com mandato de 1 (um) ano;
Grão-mestre Unido Adjunto com mandato de 1 (um) ano;
Grão-mestre Unido Assistente com mandato de 1 (um) ano;
Grande Secretário Geral com mandato de 1 (um) ano;
Grande Tesoureiro Geral com mandato de 1 (um) ano;

Cargos rotativos entre o Grande Oriente do Brasil, a CSMB (Confederação da Maçonaria Simbólica Brasileira) e a COMAB (Confederação Maçônica do Brasil), nomeados de acordo com a ordem de antiguidade, sendo que o primeiro Grão-mestre Unido seria o Grão-mestre Geral do Grande Oriente do Brasil; o primeiro Grão-mestre Unido Adjunto, o Presidente da CSMB, Confederação da Maçonaria Simbólica Brasileira; e o primeiro Grão-mestre Unido Assistente, o Presidente da COMAB, Confederação Maçônica do Brasil.

Os Grandes Oficiais (Secretário, Tesoureiro) nomeados entre os membros da Convenção, obedecendo-se a rotatividade entre as Instituições, e ratificados pela Convenção.
Grande Chancelaria Constituído por 1 (um) Grande Chanceler Exterior, nomeado entre os membros da Convenção, com mandato de 3 (três) anos, de modo a acompanhar o período trianual de renovação do Grão-mestrado. Será o representante da Maçonaria Brasileira junto às Obediências internacionais regulares, responsável pelo envio de comunicações e recebimento de solicitações à Maçonaria Brasileira.

Senado:
Constituído por 5 representantes de cada uma das Instituições Maçônicas (GOB, CMSB e COMAB), Mestres Instalados, com notório saber e experiência maçônica, composto por membros eleitos ou apontados por suas respectivas Instituições, totalizando 15 senadores, como órgão consultivo e deliberativo.

Convenção:
Constituída por 1 (um) delegado-representante para cada 1.000 Maçons regulares de cada uma das Instituições Maçônicas (GOB, CMSB e COMAB), Mestres Instalados, com notório saber e experiência maçônica, eleitos ou apontados por suas respectivas Instituições. A Convenção se reuniria uma vez por ano, não possuindo sede física, mas sim, reunidos cada ano em uma Unidade da Federação Brasileira diferente, com o propósito de se eleger o Bureau do Grão-mestrado Unido e ratificar as decisões legais e administrativas do Senado, sendo presidida pelos membros do Bureau do Grão-mestrado Unido. Os demais Grandes Oficiais para as reuniões da Convenção serão indicados entre os membros do Senado e divulgados quando da convocação para a reunião anual.

Conselho da Suprema Corte:
Constituída por 2 (dois) Conselheiros e 1 (um) Suplente para cada uma das Instituições Maçônicas (GOB, CMSB e COMAB), Mestres Instalados, com notório saber e experiência maçônica, eleitos ou apontados por suas respectivas Instituições. Reúne-se ordinariamente a cada seis meses para avalizar e julgar, independentemente, as questões de ordem maçônica, quando todos os meios legislativos discutidos na Convenção ou oriundos do Senado são esgotados.


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Apresentação do Rito Brasileiro
ARLS Sinergia II 124 – GLMERGS
Oriente de Porto Alegre, Quinta-feira dia 25.09.14, as 21 horas o Ilustre Venerável Mestre Ir.´. Sergio Fortes, declarou aberto os trabalhos da loja Sinergia II. 
Comitiva do GOB composta das seguintes  autoridades, Venerável Ir.´. Ernesto Lecey (Dep.´. Est.´. ARLS Sentinela do Piratini 4271), Venerável Ir.´.  André Bindé (Dep.´. Est.´. ARLS Luz e Razao 3930), Venerável Ir.´. Evandro Lecey (Dep.´. Est.´. ARLS Vila Setembrina 4041), Mestre Instalado Ir.´. Jair Oliveira da Rosa, Mestre Instalado Ir.´. Eduardo Lecey (ambos da ARLS Guardiões da Arca), Ir.´. Heron Lopes (Venerável Provisório ARLS Guardiões da Arca) e Ir.´. Flavio Lamb (ARLS Guardiões da Arca).
Destacamos também a presença do Ir.´. Wagner Michael Pereira (ARLS Baden Powell 185)
O Ir.´. Ernesto  Lecey, apresentou para os IIr.´. um pouco da história do rito brasileiro e suas particularidades, abordando também  o nosso primeiro centenário.
O Ir.´. Evandro Lecey, apresentou para os IIr.´. um pequeno trabalho da implantação do Rito Brasileiro no RS, pois este ano comemoramos 10 anos de RB no Rio Grande do Sul (GOB). 
Ao término das apresentações os IIr.´. puderam fazer diversas perguntas a respeito do Rito Brasileiro. 
A ARLS Sinergia II n° 124, trabalha no complexo templário da GLMERGS no templo Hypolito Jesus Morgão, localizado na AV. Praia de Belas, 560 sessões as quintas-feiras. 

Fotografias Eduardo Lecey e  Evandro Lecey
Texto Evandro Lecey

terça-feira, 23 de setembro de 2014

CAMPANHA LENÇO SOLIDÁRIO
CAPITULO LUZ DO POENTE 27 

                                   O Capitulo Luz do Poente 27, da Ordem da Estrela do Oriente, vem respeitosamente solicitar o apoio desta loja bem como de seus obreiros, familiares, amigos  para se unirem a nós na campanha do Lenço Solidário.

                                   Estaremos recebendo lenços de cabelos para serem doadas as senhoras, jovens, crianças que estão em tratamento quimioterápico, com isso ajudando a levantar a autoestima das mesmas na luta de combate a esta enfermidade.

                                   Esta uma campanha que esta em funcionamento a nível nacional e nós do capitulo Luz do Poente n° 27, não poderíamos ficar de fora de tal.

                                   As doações poderão ser entregues diretamente ao nosso capitulo nos dias 4.10 e 1°.11 no endereço Av. Praia de Belas, 560, trabalhamos no horário das 14 as 17:30 horas.

                                    Manter a autoestima é o segredo para o tratamento quimioterápico bem sucedido.

                                   Certos de podermos contar o apoio desde já agradecemos e nos colocamos a disposição para quaisquer esclarecimentos, através do telefone 51 82003374 email evandrolecey@gmail.com

                                   Aproveitamos para deixar o nosso sincero e fraterno abraço.



                           Evandro Lecey                                                             Eva Lecey

                         Digno Patriarca                                                         Digna Matriarca

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

SESSÃO DE INSTRUÇÃO DO GRAU 4
MESTRE DA DISCRIÇÃO
Na sexta-feira dia 19.09.14 as 20:30 horas o Valoroso Mestre Ir.´. Ernesto Lecey, declarou aberto os trabalhos do Ilustre e Sublime Capitulo Rosa Cruz Visconde de Mauá 77 em sessão de instrução do grau 4, no templo localizado na Rua Cuiabá 291.
O Ilustre Ir.´. Rafael  Cestari, procedeu a apresentação do seu trabalho com o tema "Pensar com exatidão".
Após o Ilustre  Ir.´. Ronaldo Garzão, procedeu a apresentação do seu trabalho este com o tema " A discrição e a Tolerância"
Para concluir o tempo de estudo o Ilustre Ir.´.  Eduardo Lecey, apresentou o trabalho " A pedra de topo
Após os irmãos saborearam um agape que foi preparado pelo Irmão Evandro Lecey "três variedades de arroz com linguiça"
Texto Evandro Lecey
Fotografias Irineu Filho

domingo, 21 de setembro de 2014

SUPREMO CONCLAVE AUTÔNOMO
PARA O RITO BRASILEIRO
Nos dias 29 e 30 de Agosto do Corrente ano reuniram-se em Cataguases os irmãos do Supremo Conclave Autônomo para o Rito Brasileiro, para comemoração dos 40 anos de implantação do respectivo Supremo Conclave.
Nesta ocasião o Ilustre Ir.´. Antônio Horacio da Silva Neto "aproveitou para fazer o lançamento do seu livro "Vade Mecum Loja Complementar do Rito Brasileiro dos graus 4º ao 14º).

Nesta ocasião aconteceram diversas homenagens bem como sessão magna de iniciação do grau 33.
A data oficial de fundação do Supremo Conclave é 14/07/1974 porém as comemorações dos 40 anos foram programadas para 30.08.14
Os trabalhos foram presididos pelo Soberano Grande Primaz Ir.´. José Wanderley Barcellos Garcia, para encerramento das festividades conforme previsto, tivemos um jantar dançante.
Para marcar também a data foi lançado o novo site do SCARB e em breve teremos novidades.
Imagens extraídas do site do Supremo Conclave
Texto Evandro Lecey

sábado, 20 de setembro de 2014

BEM VINDO AOS 14 NOVOS
CAVALEIROS DA LIBERDADE, G° 15
No dia 18 de Setembro 2014 as 20 horas o Ilustre Aterzata Irmão Nélson Pereira dos Santos, declarou aberto os trabalhos do ISCRC Vigilantes da Liberdade 56, ao clima de Mogi das Cruzes - São Paulo.
Nesta ocasião foram iniciados no grau 15, Cavaleiros da Liberdade, segundo a hierarquia do Rito Brasileiro, 14 novos irmãos.
Ao término da sessão ficou o questionamento para os irmãos refletirem, "qual é o preço da liberdade? A liberdade impõe vigilância?".
Parabéns para todos os irmãos e altos corpos, que estão jurisdicionado a 2ª DLRB-SP em especial ao nosso Eminente Irmão Márcio César De Castro Morais.

Fotografias irmão Gyoji Yura
Texto irmão Márcio César de Castro Morais 


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

SOLENIDADE FARROUPILHA
ARLS VILA SETEMBRINA 4041
Oriente de Viamão, Terça-Feira 16.09.14 as 20:30 horas o Ilustre Venerável Mestre (Patrão) Ir.´. Luis Fernando Mascarello dos Santos, declarou aberto os trabalhos em Solenidade publica da ARLS Vila Setembrina 4041, alusiva a semana Farroupilha. Tomou assento ao seu lado o Ir.´. Heron Kabral Lopes.
O Chiru das Leis Ir.´. Goldstein procedeu a leitura do tradicional salmo Gaudério: MAIS OIGALÊ TCHÊ ! COMO É BUENO DE FATO OS VIVENTES VIVEREM ENTREVERADOS, TROPEANDO JUNTOS NA MESMA DIREÇÃO......
Procedida a entrada dos pavilhões Nacional (conduzido pelo Ven.´. Ir.´.Deputado Estadual  Evandro Lecey) e do Rio Grande do Sul (conduzido pelo Ven.´. Ir.´. Deputado Estadual Paulo Roberto Aguiar de Abreu). 
Na invernada cultural o Ir.´. Anselmo Lazarini, que homenageou os nossos heróis, que lutaram pela Liberdade, Igualdade e Humanidade. Bem como fazendo as reverencias para o General Antônio de Souza Netto.
Para encerrar os presentes cantaram o Hino Riograndense, com força e vigor, após a solenidade foi oferecido um jantar campeiro com: Arroz de Carreteiro (Charque), Arroz com Linguiça campeira, Feijão tropeiro (preparado pela cunhada Ana Claudia), Quibebe de abobora, saladas verdes, pão, preparados pelos irmãos Carlos Eduardo e Marco Pinto. 
O Ir.´. Luiz Sima, procedeu a a presentação de uma Payada de Jayme Caetano Braum "MATEANDO" que começa assim Meu patrício Aí foi o mate Vá chupando despacito Que é triste matear solito Quando a velhice nos bate Por isso, neste arremate Que chegou no arrepio Meu velho peito vazio Que já teve tanta dona Ressonga que nem cordeona Nos bailes de rancherio.....
De sobremesas tivemos Sagu (Leandro Pinto), Pudim (Kelly Lazarini), Rapaduras, bolo, para encerrar chá de boldo, Macela e Funcho.
Texto Evandro Lecey
Fotografias Irineu Filho