Translate

sábado, 30 de abril de 2016

SALVE  1º DE MAIO DE 1998
PARABÉNS ARLS HERÁCLITO VICTÓRIA 3168. 

Comemoramos nesta data os 18 anos de fundação da loja Heráclito Victória 3168, inicialmente trabalhando no oriente de Sapucaia do Sul e desde 2010 no Oriente de Caxias do Sul.

Esta história só foi possível ser materializada graças aos    irmãos que acreditaram em nós  e transformamos o sonho em realidade. Obrigado aos irmãos que como bons guerreiros souberam o momento de recuarem para formamos esta base solida que é  a Heráclito Victória. O inicio foi árduo, exigiu muito sacrifício.
Aquele galo cinza mostrou a sua força e vigor. Vida longa Heráclito Victória 3168 . S.´.S.´.S.´. 
TFA Evandro Lecey - Eminente Presidente da PAELRS 


Neste dia 1 de Maio celebramos mais um aniversário de fundação da AஃRஃLஃSஃ Heráclito Victória 3168.

Honramos um nome histórico do GOB-RS, mas acima disso, os nossos propósitos de "construção do Templo Interior".

Nossa Gratidão aos Fundadores, aos Preceptores da Luz, à família Lecey (Ernesto Lecey, Evandro Lecey e Eduardo Lecey), aos Respஃ MMஃIIஃ Flávio André Teixeira, Gilnei Clemente Zinda e Eduardo Augusto Rocha.

Parabenizamos à todos IIrஃ que honram seus juramentos, trabalham pelo ideal e mantém o comprometimento.

Com o desejo de vida eterna à nossa Augஃ Oficஃ! SURSUM CORDA!

TஃFஃAஃ
Sandro da Cruz
Venerável Mestre



Obrigado irmãos  preceptores da Luz,    Heráclito Victória 3168.
ISCRC VISCONDE DE MAUÁ 77
NOTICIA NO SITE DO SUPREMO CONCLAVE DO BRASIL

GRAU 18 AO VALE DE CAXIAS DO SUL - RS

Na tarde do dia 21 de abril de 2016, o Ilustre e Sublime Capitulo VISCONDE DE MAUÁ Nº 77, ao Vale de Caxias do Sul, realizou a SESSÃO MAGNA DE INICIAÇÃO DO GRAU 18, e, no ensejo, marcou as homenagens à JOSÉ JOAQUIM DA SILVA XAVIER (O TIRADENTES).
m_DSC_0031png
No Altar do Aterzata Flávio Teixeira 33º, sentado à sua esquerda o Em.'. Evandro Bandeira Lecey 33º
O magno evento foi presidido pelo Em.’. Ir.’. FLÁVIO ANDRÉ TEIXEIRA 33º, que convidou para tomar assento à sua direita no seu Altar o Em.’. Ir.’. EVANDRO LECEY 33º.
m_DSC_0005png
No átrio o Em.'. Ir.'. Ernesto Lecey junto aos Cavaleiros da Liberdade à serem Iniciados no Grau 18
Aberto os trabalhos, 10 (Dez) Ilustres IIr.’. Cavaleiros da Liberdade, adentraram às Câmaras do Grau 18, quando foram submetidos aos procedimentos ritualísticos do Grau, e tomaram conhecimento do seu conteúdo filosófico-religioso.
Em seguida, prestaram o seu juramento, foram Consagrados e Revestidos com os Paramentos do Grau 18.
m_DSC_0040png
Os novos Cavaleiros da Perfeição ou Cavaleiros Rosa Cruzes, Grau 18 da hierarquia dos Altos Graus do Rito Brasileiro
Foram elevados ao Grau 18 – Cavaleiro da Perfeição ou Cavaleiro Rosa Cruz da Hierarquia dos Altos Graus do Rito Brasileiro os seguintes IIl.’. Ir.’: ANDRÉ DALATHÉA, ADRIANO PARISE, DAVI HEINRICH, EDUARDO ROSA, GABRIEL DE MARCHI, HERMES MACHADO, JAIR DA ROSA, LUIS CAVALLI, MÁRIO BASSO e SANDRO DA CRUZ.
m_DSC_0041png
Os Membros do Il.'. e Sublime Cap.'. VISCONDE DE MAUÁ Nº 77

Para ler mais e acessar outras fotos e notícias acesse ao link abaixo:

Este articulista parabeniza pela organização deste Alto Corpo, especialmente em relação ao Grau 18 que exige uma decoração de suas Câmaras bem elaborada, e o Il.'. Subl.'. VISCONDE DE MAUÁ Nº 77 segue á risca o preconizado. Parabéns a sua administração e em especial aos seus membros.

Texto Base - Em.'. Ir.'. Evandro Lecey 33º
Adaptação do Texto - Ser.'. Ir.'. Cesar Dourado 33º
Imagens - Evandro Lecey 33º e Irineo Filho
VEJA COMO FOI A ABERTURA DO I SEMINÁRIO DO RITO BRASILEIRO 
EM RIACHÃO DE JACUÍPE - BA

ABERTURA DO I SEMINÁRIO DO RITO BRASILEIRO EM RIACHÃO DE JACUÍPE - BA

Na tarde do dia 22 de abril de 2016, desembarcaram no Aerporto Internacional de Salvador, o Sob.'. Ir.'. NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º, Gr.'. Primaz do Rito Brasileiro acompanhado do Ser.'. Ir.'. CESAR ROBERTO DANIEL DOURADO 33º, Gr.'. Ch.'. Gab.'. do Primaz e do Em.'. Ir.'. JOSÉ DA ROCHA LEMOS 33º, Delegado Liturgico do Rito Brasileiro da 1ª DLRB/RJ, para participarem da SESSÃO MAGNA PÚBLICA DE ABERTURA DO I SEMINÁRIO DO RITO BRASILEIRO EM RIACHÃO DO JACUÍPE - BA, que foi realizado no período de 22 - 24 de abril.
m_20160422_095706png
Sobrevoando a Ilha do Governador (RJ)
m_20160422_095737png
Visão da Baía da Guanabara e ao longe a entrada da Baía

No saguão da área de desembarque do Aeroporto foram recepcionados pelo Em.'. Ir.'.ANTONIO GUIMARÃES DA SILVA, Presidente da PAEL - GOB/BA; pelo Ven Ir.'. FÁBIO MOREIRA PEREIRA, Dep.'. Est.'. da Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815; e pelo Il.'. Ir.'. JOSÉ LUIZ GOMES DA SILVA, Obreiro da Loja CASTRO ALVES Nº 1704,  e ainda pelo Pod.'. Ir.'.ARQUIARIANO BITES LEÃO, Dep.'. Fed.'. da SAFL, que exerce o cargo de Ch.'. Gab.'. do Sap.'. Ir.'. Pres.'. da SAFL - GOB, provenirente do Or.'. Goiânia (GO), que havia sido anteriormente recepcionados por eles e, agora, todos receberam o Pod.'. Ir.'. JÚLIO CESAR DA COSTA, Sec.'. Geral de Ritualística Adj.'. Rito Brasileiro, do Grande Oriente do Brasil.
m_20160422_143027png
À esquerda o Sob.'. Ir.'. Nei Inocencio dos Santos 33º, Pod.'. Ir.'. Arquiariano Bites Leão, o Ven.'. Ir,', Fábio Moreira Pereira e o Em.'. Ir.'. Antônio Guimarães da Silva; à direita, o Il.'. Ir.'. José Luiz Gomes da Silva, o Ser.'. Ir.'. Cesar Roberto Daniel Dourado 33º, o Em.'. Ir.'. José da Rocha Lemos 33º e o Pod.'. Ir.'. Júlio Cesar da Costa

Em seguida todos  rumaram para o Or.'. de Riachão de Jacuípe, mas fizeram uma pequena pausa para saborearem um Cabrito em Feira de Santana.
À noite, foi realizada a SESSÃO MAGNA PÚBLICA DE ABERTURA DO I SEMINÁRIO REGIONAL DO RITO BRASILEIRO, ao Or.'. de Riachão de Jacuípe, uma iniciativa do Il.'. Ir.'.LUIZ ROGÉRIO DOS REIS SILVA, mais conhecido como Ir.'. LULA, que contou com o apoio da sua Loja, a ARLS 14 DE AGOSTO Nº 1815, que operacionalizou o projeto e contou com o apoio do GRANDE ORIENTE DO BRASIL NO ESTADO DA BAHIA, na afigura do seu Grão-Mestre o Em.'. Ir.'. SILVIO SOUZA CARDIM.
A realização do I SEMINÁRIO REGIONAL, de acordo com o a mensagem do Em.'. Ir.'.SILVIO CARDIM: "... foi abraçado pelas Lojas Coirmãs da Região Sisaleira, e com a adesão das Lojas da Região Metropolitana de Feira de Santana, ganhou uma dimensão maior, vindo repercutir por toda a comunidade do Rito Brasileiro no Brasil".
Assim, participaram do evento as Lojas Maçônicas: DEUS, LIBERDADE E JUSTIÇA Nº 2869,16 DE JUNHO Nº 1842CAVALEIROS DE AÇO Nº 3809 ACÁCIA SERTANEJA Nº 2689,  ao Or.'. de Feira de Santana; 25 DE DEZEMBRO Nº  1675, ao Or.'. de Alagoinhas;ACADÊMICA JORRO DE LUZ E SABEDORIA Nº 3353, ao Or.'.Baixa Grande, AREÓPAGO DO GRANDE VALE Nº 3710, ao Or.'. Juazeiro.
Na Cerimônia de Abertura do I SEMINÁRIO REGIONAL DO RITO BRASILEIRO, também estiveram Veneráveis Mestres e/ou representantes das seguintes Lojas Maçônicas:REGENERAÇÃO SUL BAHIANA (Ilhéus-BA), JOAQUIM NABUCO Nº 1849 (Salvador-BA),UNIÃO E HARMONIA CASANOVENSE Nº 136 (GLEB/Casa Nova-BA), FILADÉLFIA Nº 2783 (Vitória da Conquista-BA), OBREIROS DO RIO DAS CONTAS Nº 2374 (Jequie-BA),SEGREDO E FRATERNIDADE DE IPIRÁ Nº 2106 (Ipirá-BA), UNIVERSITÁRIA PIONEIROS DA BAHIA Nº 4187 (Salvador-BA), DOMÍCIO MOREIRA Nº 3896 (Rio de Janeiro-RJ), ADONAI Nº 2224 (Rio de Janeiro-RJ), DILSON VIEIRA DA FONSECA Nº 2269(Belo Horizonte-MG), CONDE DE LINHARES Nº 1885 (S. Francisco do Conde-BA), FIBRA E FORÇA VALENTENSE Nº 117 (GLEB/Valente-BA), SEGREDO, FORÇA E UNIÃO Nº 1040(Juazeiro-BA), SABEDORIA, LUZ E UNIÃO Nº 2561 (Feira de Santana-BA), ACÁCIA LITORÂNEA Nº 3683 (Lauro de Freitas-BA), CASTRO ALVES Nº 1704 (Salvador-BA),SEGREDO, FORÇA E ALIANÇA Nº 1190 (Feira de Santana-BA)  e CAVALEIROS DA FRATERNIDADE Nº 1353 (Salvador-BA).

m_20160422_192606png
m_20160422_192642png
m_20160422_192727png
A Cerimônia de Abertura foi realizada nas dependências do  RIACHÃO PÁLACE HOTEL, onde a maioria dos seminaristas se hospedaram e puderam também realizar suas incrições (fotos acima).
m_20160422_191740png
Local das inscrições que contou com a imprescindivel colaboração dos sobrinhos e sobrinhas Apejotistas
m_20160422_191803png
Na foto acima a chegada dos primeiros participantes da cerimônia: (à partir da esquerda) Em.'. Ir.'. ANTONIO RAYMUNDO DE SOUZA PEREIRA 33º, Del.'. Lit.'. do Rito Brasileiro da 1ª Região na Bahia; o sobrinho ANTONIO RAYMUNDO DE SOUZA PEREIRA NETO; o Em.'. Ir.'.HIPÓLITO PEIXINHO DA SILVA 33º, Del.'. Lit.'. do Rito Brasileiro da 3ª Região da Bahia; o Em.'. Ir.'. MARCOS ANTONIO SÃO PEDRO; e o Em.'. Ir.'. LUIZ CARLOS DE MELO MONTEIRO, acompanhado da
m_20160422_191822png
O Delegado Litúrgico Mirim, o Sobrinho ANTÔNIO RAYMUNDO DE SOUZA PEREIRA NETO
m_20160422_193715png
A Cunhada CARLA DAIMÉIA CARNEIRO SILVA, Pres.'. da Frat Fem.'. Cruzeiro do Sul - Loja 14 de Agosto, e as fraternas MAIRA e NEOSUITA
m_20160422_195412png
As cunhadas NEOSUITACARLASUZIVERAMAIRAJANETE CLAUDIANE da FRATERNIDADE FEMININA CRUZEIRO DO SUL - LOJA 14 DE AGOSTOm_20160422_201111png
A participação ao evento foi significativa - Destacamos (foto acima) as presenças do Sob.'. Ir.'.NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º (à esquerda); o Em.'. Ir.'. PEDRO WALLACE 33º (Alagoinhas-BA), Pres.'. do G.'.C.'. K.'. F.'. GILDÁSIO LEITE FISCINA Nº 142 (Alagoinhas-BA); Pod.'. Ir.'. ARQUIARIANO BITES  LEÃO, Ch.'. Gab.'. do Pres.'. da S.'.A.'.F.'.L.'. (Goiânia-GO); o Pod.'. Ir.'. JULIO CESAR DA COSTA, Sec.'. Geral de Ritualística do GOB Adjunto para o Rito Brasileiro (B. Horizonte - MG); o Em.'. Ir.'. ANTONIO GUIMARÃES DA SILVA, Pres.'. da P.'.A.'.E.'.L.'. do GOB- BA (Salvador-BA); o Resp.'. Ir.'. JOSÉ LUIZ GOMES DA SILVA, da Loja Maçônica CASTRO ALVES Nº 1704 (Salvador-BA), Il.'. Ir.'. MARCOS EVANDRO DE CARNEIRO SILVA, Ven.'. M.'. da Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815; e o Il.'. Ir.'. VALNEY SANTOS DA SILVA, Membro do CONSELHO ESTADUAL DO GOB-BA.
m_20160422_200231png
Na foto acima o registro das presenças dos IIl.'. IIr.'. JOSÉ NICANOR GÓES e VALNEY SANTOS, Membros do Conselho Estadual da Ordem GOB-BA; do Sob.'. Ir.'. NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º, Gr.'. Primaz do Rito Brasileiro; e do Pod.'. Ir.'. JÚLIO CESAR DA COSTA33º, Sec.'. Geral de Ritualística Adj.'. do Rito Brasileiro.
m_20160422_200707png
À partir da esquerda os IIl.'. IIr.'. PAULO ROBERTO SANTOS SOUZAREGINALDO BERNARDO DE SOUZA e VALDEMIR SILVA BASTOS, respectivamente, Veneráveis Mestres das Lojas Maçônicas CAVALEIROS DE AÇO Nº 3809, ACÁCIA SERTANEJA Nº 2690  e 16 DE JUNHO Nº 1842; e o Il.'. Ir.'. JORGE LOPES BASTOS, M.'. I.'. da Loja Maçônica ACÁCIA SERTANEJA Nº 2690
m_20160422_212338png
Presentes ao evento o Il.'. Ir.'. ADERALDO ANDRADE, membro da Loja OBREIROS DO RIO DAS CONTAS Nº 2374, o Ven.'. Ir.'. PAULO ROBERTO BRITO, Dep.'. Est.'. da Loja CAVALEIROS DA FRATERNIDADE Nº 1353, e o Il.'. Ir.'. RUI BARBOSA DE SANTANA, Ven.'. M.'. da Loja CAVALEIROS DA FRATERNIDADE Nº 1353, especialmente prestigiando ao palestrante Il.'. Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, que também é obreiro desta Loja.
m_20160422_201600png
Acima, o registro das presenças do Ser.'. Ir.'. CESAR ROBERTO DANIEL DOURADO 33º, Gr.'. Ch.'. Gab.'. Primaz; do Il.'. Ir.'. JOSÉ NICANOR GÓES, Membro do Conselho Estadual da Ordem (GOB-BA); e os EEm IIr.'.  HIPÓLITO PEIXINHO DA SILVA 33º, Delegado Liturgico do Rito Brasileiro para a 3ª Região na Bahia, ANTONIO GUIMARÃES DA SILVA, Pres.'. P.'.A.'.E.'.L.'. GOB-BA, e MARCOS ANTONIO SÃO PEDRO 33º.

Destacamos, entre outras, das seguintes autoridades maçônicas presentes, que não foram anteriomente nominadas: Em.'. Ir.'. JOSÉ DA ROCHA LEMOS 33º, Delegado Litúrgico do Rito Brasileiro da 1ª Reg.'. do Rio de Janeiro; Em.'. Ir.'. JOSÉ CARNEIRO 33º, Gr.'. Prior do Pod.'. GCKF DR.'. BRÁULIO BEZERRA DE MENEZES Nº 118; Em.'. Ir.'. VALDOBERTO MORAES CARNEIRO 33º, Aterzata do Il.'. Subl.'. Cap.'. EVILÁZIO MASCARENHAS RIOS Nº 43; Pod.'. Ir.'. HUMBERTO LOPES CEDRAZ, Dep.'. Federal da S.'.A.'.F.'.L.'.; Pod.'. Ir.'. ROQUE TADEU AMARAL COSTA,  Gr.'. Sec.'. Est.'. da Guarda dos Selos do GOB-BA; Pod.'. Ir.'. LUIZ CARLOS TOSTA DE SANTANA, Gr.'. Sec.'. Finanças do GOB-BA; o Ven.'. Ir.'. ELÍSIO FRANCELINO SILVA, Gr.'. Sec.'. Est.'. de Ritualística do GOB-BA Adj.'. para o REAA;  Il.'. Ir.'. SINÉZIO MATOS, Membro do Conselho Estadual da Ordem GOB-BA; o Il.'. Ir.'. EDUARDO CARNEIRO BASTOS, Ven.'. M.'. LojaSEGREDO, FORÇA E UNIÃO Nº 1040; Il.'. Ir.'. VALMIR ALVES DA CRUZ, Ven.'. M.'. Loja AREÓPAGO DO GRANDE VALE Nº 3710; Il.'. Ir.'. GEORGE WALLACE NOGUEIRA CHAVES, Ven.'. M.'. Loja 25 DE DEZEMBRO Nº 1675; Il.'. Ir.'. FERNANDO OLIVEIRA RIOS, Ven.'. M.'. Loja FIBRA E FORÇA VALENTENSE Nº 117; Il.'. Ir.'. ROBERTO AZEVEDO AQUINO, Ven.'. M.'. Loja SABEDORIA, LUZ E UNIÃO Nº 2561.
Ainda presentes prestigiando a Cerimônia da Abertura do I SEMINÁRIO REGIONAL: a Exma.'. Sra.'. TÂNIA REGINA ALVES DE MATOS, Prefeita do Município de Riachão de Jacuípe (BA) e  o Exmo.'. Sr.'. Vereador CÉLIO ROBERTO SILVA BRITO, Pres.'. da Câmara Municipal de Riachão de jacuípe (BA).

m_20160422_202548png
A Cerimônia de Abertura do I SEMIÁRIO DO RITO BRASILEIRO EM RIACHÃO DO JACUÍPE, iniciou com o Pod.'. Ir.'. LUIZ CARLOS TOSTA DE SANTANA, no ensejo exercendo o cargo de M.'. CCer, convidou primeiramente para ocupar e presidir os trabalhos da mesa diretora o Il.'. Ir.'. MARCOS EVANDRO CARNEIRO SILVA, Venerável mestre da Loja Maçônica 14 DE AGOSTO Nº 1815, em seguida foi convidado opcupar lugar à sua esquerda o Pod.'. Ir.'. ARQUIARIANO BITES LEÃO, Ch.'. Gab.'. do Sap.'. Ir.'. MÚCIO BONIFÁCIO GUIMARÃES, Presidente da Soberana Assembléia Federal Legislativa do GOB, o qual estava formalmente representando; e asim prosseguiram os demais convites.
m_20160422_202915png
Finalmente a mesa foi composta com as seguintes Autoridades Maçônicas e Profanas (foto acima): Il.'. Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, obreiro da Loja Cavaleiros da Fraternidade Nº 1353 e palestrante da noite; Il.'. Ir.'. LUIZ ROGÉRIO DOS REIS SILVA (Ir.'. LULA), Membro do Conselho Estadual da Ordem GOB-BA e Coordenador Geral do evento; a Cunhada CARLA DAIMÉIA CARNEIRO SILVA, Pres.'. da Frat.'. Cruzeiro do Sul - Loja Maçônica 14 de AGOSTO; Pod.'. Ir.'. HUMBERTO LOPES CEDRAZ, Dep.'. Fed.'. e Grão-Mestre Honorário do GOB-BA, no ato representando o Em.'. Ir.'. SILVIO SAOUZA CARDIM, Grão Mestre Estadual do GOB-BA;ARQUIARIANO BITES LEÃO, Ch.'. Gab.'. do Sap.'. Ir.'. MÚCIO BONIFÁCIO GUIMARÃES, Pres.'. da SAFL, no ato representando-o formalmente; MARCOS EVANDRO CARNEIRO SILVA, Ven.'. M.'. da Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815; NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º, Gr.'. Primaz do Rito Brasileiro; Exma.'. Sra.'. TÂNIA REGINA ALVES DE MATOS, Prefeita do Município de Riachão de Jacuípe (BA); Exmo.'. Sr.'. CÉLIO ROBERTO SILVA BRITO, Pres.'. da Câmara Municipal de Riachão de Jacuípe BA); Em.'. Ir.'.  ANTÔNIO GUIMARÃES DA SILVA, Pres.'. PAEL-GOEB; e o Pod.'. Ir.'. JULIO CESAR DA COSTA, Sec.'. Geral de Ritualística do GOB Adjunto para o Rito Brasileiro.
m_20160422_202933png
m_20160422_202955png
m_20160422_203036png
m_20160422_203051png
Aberto os trabalho pelo Venerável Mestre Ir.'. MARCOS EVANDRO CARNEIRO, Presidente da mesa, foi cantado por todos, perfilados de pé, o Hino Nacional Brasileiro, sendo projetado um vídeo com imagens alusivas ao nacionalismo brasileiro, legendado com a letra do hino (fotos acima).
m_20160422_203407png
Em seguida ocorreu a apresentação do Grupo de Dança TRIBUTO AO CORPO, de Riachão de Jacuípe que encantou a platéia ao dançar primeiramente uma coreografia ao som da nossa conhecida ACÁCIA AMARELA, do querido Ir.'. LUIZ GONZAGA.
m_20160422_203428png
O Grupo de Dança TRIBUTO AO CORPO com pouco mais de 6 anos de existência mostrou profissionalismo, postura e disciplina atraindo a atenção da assistência de Irmãos, Cunhadas, Sobrinhos, Sobrinhas e Convidados.
m_20160422_203806png
m_20160422_203817png
m_20160422_203829png
m_20160422_203539png
As coreografias apresentadas pelo Grupo de Daça Tributo ao Corpo conquistaram a atenção plena da platéia
m_20160422_203902png
O s membros da APJ que foram de grande importância para a organização do evento cativados pela apresentação do Grupo de Dança
m_20160422_203917png
Os estimados IIr.'. de Vitória da Conquista, o Em.'. Ir.'. Glauber dos Santos Soares 33º, Aterzata do Il.'. Subl.'. Cap.'. Luz e Sabedoria Nº 40; o Em.'. Ir.'. Joselito Ferreira Soares 33º, Delegado Liturgico da  DLRB/BA; o Ven.'. M.'. Maurílio Márcio dos Santos Caldeira, da Loja Filadélfia Nº 2783; e o Il.'. Ir.'. Anselmo Magalhães, M.'. I.'. da Loja Segredo e Fraternidade de Ipirá Nº 2106
m_20160422_203928png
Em primeiro plano o Pod.'. Ir.'. MILTON ARAUJO FERNANDES, Dep.'. Fed.'. da Loja 14 AGOSTO Nº 1815, exemplo de uma platéia que ficou atenta e cativada pela apresentação da Grupo de Dança TRIBUTO AO CORPO.
m_20160422_204017png
m_20160422_204025png
Prestigiando a Cerimônia de Abertura o Ven.'. Ir.'. ELÍSIO FRANCELINO SILVA, Gr.'. Sec.'. Est.'. de Ritualística Adj.'. para o REAA (foto acima).

m_20160422_204215png
Inicialmente o Pod.'. Ir.'. responsável pelo cerimonial convidou ao Il.'. Ir.'. MARCOS EVANDRO CARNEIRO SILVA, Ven.'. M.'. da Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815, para proferir suas palavras, quando agradeceu o comparecimento dos IIr.'., cunhadas, sobrinhos e sobrinhas, da Lojas Maçônicas do Rito Brasileiro, na Bahia, dessa forma, enaltecendo a realização do I SEMINÁRIO REGIONAL DO RITO BRASILEIRO. Destacou ainda o trabalho do Il.'. Ir.'. LUIZ ROGÉRIO, nosso Ir.'. LULA, Coordenador do Seminário, o seu empenho e dedicação para a consecução do evento. Encerrou a sua fala desejando que o seminario idealizado fosse proveitoso para seus participantes.
m_20160422_204337png
Em seguida foi convidado para falar o Exmo.'. Sr.'. CÉLIO ROBERTO SILVA BRITO,  Presidente da Câmara Munipal de Riachão de Jacuípe, que saudou a mesa diretora e a assistência, parabenizando a Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815 pela realização do I SEMINÁRIO, que a semente plantada gere frutos, incentivando a promoção de outros, e encerrou a sua fala externando sua satisfação  em ter sido convidado para a efeméride.
m_20160422_204441png
Prosseguindo, proferiu as suas palavras o Sob.'. Ir.'. NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º, que saudou a mesa e demais autoridades presentes, e os participantes, parabenizou a Organização da Cerimônia, e trouxe o abraço do Supremo Conclave do Brasil.
No ensejo convidou o Em.'. Ir.'.  ANTONIO RAYMUNDO DE SOUZA PEREIRA 33º, Delegado Litúrgico da 1ª Região da Bahia, para que acompanhado do sobrinho ANTONIO RAYMUNDO DE SOUZA PEREIRA NETO, e da sobrinha BÁRBARA MÁRCIA PINTO PEREIRA viesem ao palco, quando entregou ao sobrinho o DIPLOMA DE DELEGADO LITÚRGICO MIRIM DO RITO BRASILEIRO NA BAHIA, em homenagem ao Em Ir.'. ANTÔNIO RAYMUNDO 33º, pelo seu profícuo trabalho.
m_20160422_204710png
A sobrinha Bárbara Márcia Pinto Pereira fazendo a leitura do texto do Diploma
m_20160422_204756png
O Sobrinho Antônio Raymundo de Souza Pereira Neto, o primeiro Delegado Liturgico Mirim do Rito Brasileiro com o seu Diploma
m_20160422_205022png
O Diploma de Delegado Litúrgico MIrim do Rito Brasileiro
m_20160422_205004png
Finda a fala do Primaz, o Pod.'. Ir.'. ARQUIARIANO BITES LEÃO, no ato representando o Sap.'. Ir.'. MUCIO BONIFÁCIO GUIMARÃES foi convidado pra fazer o seu pronunciamento, quando trouxe a saudação do Pres.'. da S.'.A.'. F.'. L.'., esclareceu a impossibilidade do Sap.'. comparecer ao evento, e concluiu felicitando  os organizadores pela iniciativa do seminário regional.
m_20160422_205230png
Ato contínuo foi a vez do Pod.'. Ir.'. HUMBERTO LOPES CEDRAZ, Dep.'. Fed.'. e Grão Mestre Honorário do GOB-BA, que no ato representou formalmente o Em.'. SÍLVIO SOUZA CARDIM, Grão-Mestre do GOB-BA, e transmitu o parabéns dessa autoridade pelo evento realizado, uma demonstração de que é possível fazer Maçonaria em qualquer lugar do Brasil, desde que haja Maçons e Cunhadas empenhadas.

O Ven.'. Ir.'. discorreu sebre a crise política que vive o País, e que é do seu entendimento que a Maçonaria perdeu a oporunidade de marcar o passo na sua história. Ele ainda afirmou que, hoje, se dedica ao exercício da cidadania, e nós que escrevemos história não podemos ficar contando história. Lamentou que os gestores da Maconaria não tenham se posicionados.
Exortou que nós Maçons temos que estar vigilantes permanentemente, mas na realidade estamos sempre nos preparando, entre paredes, e nunca agimos.
O Ven.'. Ir.'. deixou claro que respeita as autoridades maçônicas superiores, e que não quer de forma alguma ferir os landmarques, porém complementa, "... triste daqueles que se preparam para a luta, mas não tem coragem de lutar".
Encerrou, destacando: "... a Maçonaria está acostumada a fazer história e não apenas ler histórias".

m_20160422_205919png
Ato contínuo se apresentou a Exma .'. Sra.'. TÂNIA REGINA ALVES DE MATOS, Prefeita do Município de Riachão de Jacuípe, nossa cunhada, viúva de maçom, que inicialmente parabenizou a organização do I SEMINÁRIO REGIONAL DO RITO BRASILEIRO, destacando o trabalho do Ir.'. LULA, e afirmou que com muita honra participava da cerimônia. Felicitou ainda a assistência, e os visitantes de outros municípios e enfatizou que concordava com a fala do Pod.'. Ir.'. HUMBERTO LOPES CEDRAZ.
Agradeceu, ainda, "de coração", a Loja 14 DE AGOSTO Nº 1815, pelo trabalho desenvolvido quando das enchentes que assolaram o Munípio de Riachão de Jacuípe.
Finalizou o seu pronunciamento, desejando um bom seminário, e que traga soluções que beneficiem não só a Maçonaria, mas, também ao Município de Riachão de Jacuípe.
Após concluída a fala da Prefeita de Riachão do Jacuípe, a cunhada TÂNIA REGINA ALVES DE MATOS, imediatamente foi apresentado um vídeo sobre a Maçonaria, inicialmente discorrendo sobre o que é Maconara e apresentando personalidades de destaque na vida profana,  Maçons  no Brasil e no mundo, que se destacaram na Política, nas Artes, nas Ciências e Pesquisas. Entre outros apresentados destacamos:
m_20160422_210331png
Visconde do Rio Branco
m_20160422_210337png
O Ir.'. George Savalla, mais conhecido como Palhaço Carequinha
m_20160422_210342png
O Ator Milton Gonçalves
m_20160422_210348png
O diplomata, inventor, cientista e abolicionista Benjamin Franklin
m_20160422_210352png
O Presidente Americano Franklin Delano Roosevelt
m_20160422_210356png
O Físico Isaac Newton
m_20160422_210359png
O compositor Mozart
m_20160422_210404png
...e o grande Estadista Inglês Winston Churchil
m_20160422_210415png
Em seguida o vídeo apresentou os grandes feitos históricos da Maçonaria, quer como instituição ou por ação dos Maçons.
m_20160422_210448png
O vídeo  tambem abordou os principais eventos históricos com atuação da Instituição Maçonaria ou com a participação de Maçons, que causaram transformação geo-politica e social no Brasil e  no mundo: a Independência do Brasil, a Proclamação da República, a Independência dos Estados Unidos, a Revolução Francesa e a Libertação dos Escravos donde se cunhou os princípios basilares da LIBERDADE, IGUALDADE  E FRATERNIDADE, pilares da Maçonaria (foto acima).
m_20160422_210456png
m_20160422_210500png
Prosseguindo, o vídeo apresentou imagens que destacaram alguns princípios, versando sobre o Ser Maçom:  "...é ser homem em busca da Perfeição", ainda , "...é ser Fiel ás cores da Bandeira" (fotos acima), continuou: "...é ter sempre sobre o peito a Pátria amada, nobre sobranceira!"; "... é ser reto e leal -  ser exemplo perante a sociedade!"; "... é ser exemplo de seu lar, ser bom e praticar a caridade"; "... é sempre estar de pé e atento aos perversos"; "... é ter crença e ter fé no G.'.A.'.D.'.U.'."; "... é ser nobre e ser altivo - bom esposo e bom chefe de família", assim, como estes principios outros foram evidenciados.
m_20160422_210546png
Finalmente foram ainda divulgadas imagens com a programação do evento para os três dias, bem como as Lojas Maçônicas participantes  e as demais informações, constantes dos folders distribuídos quando da inscrição, bem como presentes em cartazes.
m_20160422_211054png
Dando continuidade a programação, foi convidado o Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, palestrante da noite de abertura do evento,
m_20160422_211531png
O Il.'. Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, é professor e bacharel em direito, além de Vice-Presidente da Rede de Agências dos Correiros, mas a sua maior qualificação é ser nosso Irmão, obreiro da Loja CAVALEIROS DA FRATERNIDADE Nº 1353, que sabiamente fez uma profunda reflexão sobre a inclusão na Ordem Maçônica sob o título A MAÇONARIA E O PORTADOR DE DEFICIÊNCIA.
m_20160422_212351png
Na foto acima, temos os tópicos que foram abordados pelo Il.'. palestrante quando da sua apresentação

Numa abordagem clara, esclarecedora, e inteligente ele falou sobre a deficiência física, questionou o por quê a Maçonaria impede a Iniciação dessas pessoas, falou sobre os Landmarques, muito mais voltados para os Maçons Construtores, que exigia homens com saúde para atuarem nas construções, por exemplo, das Catedrais, que exigia bastante vigor físico.
Iniciou esplanando: O termo, vem evoluindo, pois, se antes era agressivo e humilhante ao tratá-lo como aleijado, evoluiu, depois, para deficiente físico, que ainda carregava incompreensão e preconceito, pois a deficiência não é só física, mas pode também ser mental.
Disse ainda: O ser humano é biopsicosocial, e estas três dimensões a biológica, que trabalha o lado humano e físico; a psicológica, que estuda não só a mente mas o lado espiritual; e social, no sentido de estudar as suas relações do ser humano na sociedade,  não deve ser tratada de forma fragmentada, e sim como um todo.
m_20160422_211907png
O Il.'. Ir.'. NEY CAMPELO proferindo a sua fala na Abertura do I Seminário do Rito Brasileiro

Continuou: Assim, devemos entender que deve evoluir também uma consciência de singularidades, dessa forma evita a estigmatização por ser diferente, porque na verdade somos todos diferentes.

Voltando a abordagem da evolução nominal vulgar e o preconceito na sociedade, nas ciências e na saúde, afirmou: Ao se referirem à essas pessoas como deficientes, dava a impressão de pessoas sem eficiência, o que não corresponde a verdade; posteriormente veio a denominação de deficientes físicos, e como já vimos anteriormente, também foi falha, pois a deficiência não é só física, e os casos que afetam a mente, como as doenças psíquicas? Aí foi adotado o termo "portadores de deficiência", e nova pergunta, mas qual? Doença? Chaga? O quê? 

Ainda complementou: Mais recentemente se usou o termo "Necessidades Especiais", e também se tornou inadequado pois essa "necessidade" não é só física e, além disso, qualquer um tem uma necessidade especial, por exemplo, na alimentação, outros tem a necessidade atenção, de reconhecimento, podendo ir de das necessidades fisiológicas às necessidades espirituais, pois todas elas são especiais, ainda mais se compreendermos que somos, cada um, singulares e especiais.
m_20160422_211933png

Disse ainda: Atualmente é adotado o termo mais acertivo e substantivo - Pessoas com Deficiência, porque são pessoas que possuem algum tipo de deficiência, mais abrangente.

Outro aspecto muito bem abordado na exposição do Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, é o daACESSIBILIDADE FÍSICAPela sua inobservância, nos demonstra que vivemos num mundo de exclusão - os passeios e calçadas são inacessíveis e não sinalizados; a maioria das casas especialmente com idosos, não estão preparadas, e falar de acessibilidade não se refere apenas ao Cadeirante, mas a toda e qualquer pessoa que possa ter dificuldade de mobilidade. Na própria Maçonaria, com o aumento da expectativa de vida, as nossas Lojas não estão preparadas para a redução de mobilidade de muitos IIr.'.. O mesmo ocorre nos bares, museus, bancos, etc..
Ele ainda citou: 40% da mobilidade em Salvador é feita por meio de andar a pé ou por bicicleta, e não temos passeio e ciclovias.

E enfatizou: A cidade só será para todos se for para cada um - pode ser para mim, para o cego ou para o cadeirante, e exemplificou citando como exemplo, um acontecimento que ocorreu com ele quando foi Secretário de Educação em Salvador: Como o giz causava nos professores problemas de alergia, e devido ás reclamações tomou a decisão de adotar o Quadro Branco, para uso do Pilot, mas pensando que algum dia poderia ter falta deste material, ele deixou que parte do quiadro ainda fosse para uso do giz. Certo dia recebeu a visista de um membro de uma Associação de Albinos, que solicitou audiência com ele, e para sua surpresa o Presidente foi para agradecê-lo pois ao manter o quadro de giz, facilitou aos alunos albinos que pelo reflexo do quadro branco não conseguem ter uma visão adequada do foi escrito, diferentemente do giz; ainda, no ensejo, lhe foi pedido que as provas fossem feita com fonte tamanho 14, pois, se menor também prejudicavam a visão dos albinos". Um exemplo clássico de singularidade, quando a "educação é para todos, quando ela for para cada um.
m_20160422_211621png
A platéia atenta e envolvida pela fala do Palestrante
O Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, disse ainda: Há uma segregação sociocultural, uma cidade, ques parte da sua população a usa e usufrui e outra fica impedido de fazê-lo. É preciso pesquisar, sistematizar.
Ele enfatizou: Mais do que ouvir uma simples palestra de alguem que veio de Salvador para fazê-la, mas,  uma profunda reflexão sobre uma questão humana excencial e que é merecedora da atenção não apenas da Ordem Maçônica, mas de cada um de nós em nossas atividades, funções e profissões no mundo profano.
Abordou o avanço técnico científico, nas diversas áreas da medicina, engenharia, na ciência e na educação, que começa a prover novas perspectivas, e relatou a sua experiência quando responsável  na Copa do Mundo, que ele considerou como uma das suas maiores realizações naquele período:  A Copa do Mundo não era apenas organizar Estádio, mas, também uma maneira de produzir legado social, quando orgulhosamente conseguiu que uma criança de 11 anos, que passava por  um processo de fisioterapia no Núcleo de Apoio e Proteção à Criança com Paralisia Celebral, fosse vestida com uma vestimenta robótica de tecnologia russa que a permitiu dar o pontapé inicial de inauguração da Arena Fonte Nova, um pequeno exemplo de que é possível com o avanço dessas áreas das ciências produzir resultados para pessoas com deficiência, e a Maçonaria contemporânea deve se servir desses avanços, para praticar aquilo que está consignado na Constituição do Grande Oriente do Brasil, que diz   "Igualdade perante a Lei" e  "Respeito  às diferenças e singularidades que nos fazem verdadeiramente humanos", assim, se queremos praticar igualdade perante a Lei precisamos cuidar desse tema com muito carinho.
m_20160422_211736png
Na platéia o Pod.'. Ir.'. Roque Tadeu Amaral Costa, Sec.'. Geral da Guarda dos Selos do GOB-BA; o Pod.'. Ir.'. Milton Araujo Fernandes, Dep.'. Fed.'. SAFL, o Em.'. Ir.'. José Carneiro 33º, Pres.'. GCKF Dr.'. Bráulio Bezerra de Menezes nº 118, e o Ser.'. Ir.'. Cesar Roberto Daniel Dourado 33º, Gr.'. Ch.'. Gab.'. Primaz; atrás o Em.'. Ir.'. José da Rocha Lemos 33º, Delegado Litúrgico do Rito Brasileiro para a 1ª Região do Rio de Janeiro

Falou ainda: Todos conhecem a existência do "Estatuto da Criança e do Adolescente", bem como do "Estatuto do Idoso", mas tem absoluta certeza que quase ninguém sabe da existência do "Estatuto da Pessoa com Deficiência", no Brasil, a Lei nº 13.146,  aprovada em 06 de julho de 2015, que estabelece como instrumento normativo a previsão de direitos e de mecanismos de proteção do Estado brasileiro às pessoas com deficiências, nós temos agora um intrumento normativo que nos obriga, e os maçons tem como suposto a prática e o respeito a lei,  essa é uma premissa do verdadeiro Maçom,  e o caput do artigo primeiro da Lei diz: "assegurar e promover em condições de igualdade o exercício dos direitos  e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência visando a sua inclusão social e cidadania. O Estatuto não se limita à cuidar só do atendimento da acessibilidade física, mas quando se fala em cidadania se fala em ter acesso em todas  as manifestações que são humanas (cultura, artes, etc). Ele altera normas trabalhistas, previdenciarias, arquitetônicas, Código de Obras e de Posturas, conceitua todas as barreiras: humanistas, arquitetônicas, de transporte, de comunicação, tecnologicas e  atitudinais. Não adianta cuidar da acessibilidade física, se não mudarmos a nossa atitude preconceituosa e segregadora e mantermos uma visão preconceituosa frente ás pessoas com deficiências.

Finalizou: É uma norma federal que deve ser regulamentada por Estados e Municípios, e implantada   no prazo de 180 dias, prazo já vencido, e se formos visitar os 5.572  municípios brasileiros, ela foi desconsiderada, e veremos que esse  é um problema social mais amplo e a necessidade de se tomar medidas para a sua implementação.
O palestrante abordou o problema das pessoas com deficiência dentro do contexto da Maçonaria. Falou sobre os Landmarques e a legislação maçônica.

Conceituou Landmarque, esclareceu que eles foram sistematizados por Albert Mackey, em 1856, que existem diferentes sistematizações mais ou menos extensas do que a nossa, e nós adotamos as 25 de Mackei: São postulados universais maçônicos que atravessaram o tempo e se mantém vivos até hoje e são considerados Princípios ou Postulados, quer dizer, são fatos reconhecidos mas não necessariamente demonstrados.

E continuou: Os Landmarques, as mais antigas Leis da Maçonaria, são princípios por nós respeitados enquanto Ordem e que sobre eles a Maçonaria deve refletir e construir seus intrumentos normativos  e estabelecer a nossa convivência social a partir deles (Constituições, Regulamentos Gerais e das Lojas, enfim, essa estrutura normativa que nós respeitamos).
m_20160422_211951png
Prosseguiu destacando: a Maçonaria por ser uma Instituição progressiva e evolutiva deve á Luz desses postulados universais refletir quais serão as nossa práticas, e Lei precisa responder ao Princípio da Legitimidade - toda vez que uma lei perde a legitimidade ela precisa ser alterada e quem confere legitimidade à Lei são as relações socias - a Sociedade é quem determina o tempo de vidas das Leis, à Luz dos princípios que nos orientam.
Ao falar dos Landmarques esclareceu: destaco o 25º landmarque, que trata da imutabilidade dos outros demais Landmarques; e o 18º landemarque, que afirma que "os candidatos à Iniciação devem ser isentos de defeitos físicos ou de mutilações, livres de nascimento e maiores", dessa forma impedia uma mulher, um escravo ou um aleijado poder ingressar na Ordem, cada uma dessas categorias tem uma explicação histórico-filosófica, contudo, não existe mais escravidão conforme aprendemos nos bancos escolares, como um modelo de sociedade, portanto o landmarque que previa isso foi superado.

Ao tratar da questão dos defeitos físicos explicitou: esse impedimento era válido nas condições históricas da Maçonaria Operativa, pois eram operários e obreiros, construtores de catedrais, o que trazia condições de restrição ao cadeirante, ao cego, a mulher, como as referidas no 18º Landmarque, porém atualmente, com os avanços da ciência e da nova realidade da Maçonaria Especulativa, essas restrições foram superadas, o que nos proporcionou uma nova realidade.
m_20160422_212008png
Na foto acima, destacamos na atenta assistência as cunhadas Tânia Almeida Rocha Soares (vestido estampado comprido) e Jerusa Fernandes Barbosa Caldeira (blusa azul), esta última presidente da Frat.'. Fem.'. Cruz.'. Sul - Loja Filadélfia; na fila da frente, em destaque a cunhada Pres.'. da Frat.'. Fem.'. Cruz.'. Sul - Loja 14 de Agosto, tendo ao seu lado a cunhada

E perguntou: O que fazer diante dessa nova realidade?

E respondeu: Há uma nova redação do Art. 27, dada pela Emenda constitucional, de 22 de setembro 2008, no seu inciso 1º, que muda um pouco refletindo a Maçonaria Evolucionista e diz: "Ser do sexo masculino, maior de 18 anos, ser hígido e ter aptidão para a prática dos atos da ritualística maçônica"; e ao se consultar o conceito de higidez nos dicionários, constatamos que significa ser saudável, ser salutar. Ora, não são saudáveis as pessoas com algum tipo de deficiência? Não são salutares? Se eu admitisse essa hipótese eu teria nesse momento de dizer aos senhores e as senhoras para esquecermos as Paraolimpíadas de 2016 porque a maior potência paraolimpica do mundo é o Brasil. Essa é a melhor expressão de que nós  temos pessoas não somente saudáveis e salutares, do ponto de visto biopsicosocial, como temos diversas pessoas atletas de alta performance, que nenhum de nós tem condiçoes de competir por exemplo com um Paratleta de Triatlon, que nada, corre e pedala diariamente dezenas de quilômetros.
Citou casos de superação e exemplos de IIr.'. Iniciados, citando o caso de um Ir.'. que sofreu 3 infartes, mas que recentemente bateu o recorde de piscina, nadando continuamente durante 24 horas, que foi para o Guiness Book. E enfatizou: Como não dizer que essas pesssoas são saudáveis?
m_20160422_212028png
Na assistência, na última fila as cunhadas
Disse ainda: Outro problema é a acessibilidade às Lojas Maçônicas dos nossos Irmãos com mobilidade reduzidas, tais como escadarias, a exemplo da loja do palestrante localizada no Pelourinho, que já é um local de difícil acesso.

E foi muito incisivo ao dizer: Desses edifícios, hoje, a lei cuida dessa acessibilidade, mas independente da lei temos que cuidar do acesso dos nossos IIr.'. com mobilidade reduzida.

O Palestrante citou como exemplo de inclusão: Na GLUI existem IIr.'. cegos e surdos; na Gr.'. Loja da Escócia os seus Rituais foram traduzidos para a linguagem do Braile e existe uma Loja exclusivamente para cadeirantes; e em Birghman, foi iniciado um cego que foi vendado porque esa venda significava que ele estava nascendo para uma nova Luz, simbolizando despertar uma outra dimensão, e o seu cão guia o acompanhou até o final, e  recebeu também um avental como seu dono.
Encerrou a sua fala propondo algumas recomendações, tais como: A realização de um grande seminário sobre esse tema com a presença de especialistas; constituir no GOEB um núcleo da pessoa com deficiência, um núcleo pensante e reflexivo sobre o tema, com a participação dos DDep.'. FFed.'. e EEst.'., de membros do Tribunal de Justiça Maçônico, do Tribunal Eleitoral, por ser um tema transversal e multidisciplinar, e encaminhar propostas de alterações da Constituição do GOB e do RGF com um texto mais assertivo, mais inclusivo e tratar o tema com os VVen.'. das Oficinas baiana, oportunidade que foi dada oa palestrante ao se dirigir aos IIr.'. nessa noite.
Destacou finalmente: O tema não deve ser tratado com piedade, mas de compreender a complexidade do tema, do valor humano de cada um que está aqui e que precisa ver o outro na sua integridade.

Ainda além das propostas, de construir e reformar Loja cuidando da acessibilidade; a tradução e adaptação dos manuais, ação de baixo investimento, propôs ainda: O uso da linguagem de libras,especialment a realização de em um grande evento ou Congresso da Maçonaria.

Encerrou a sua explanação deixando duas reflexões, sendo uma de sua autoria:

A verdadeira deficência está na ausência de caráter e para esta não tem prótese regeneradora

Essa é a reflexão que precisa estar em nós. Para ausência de caráter difícil encontra mar solução, por isso é nossa missão  o aprimoramento das nosaas condutas e comportamentos.

Existem os cegos por deficência, os cegos pela ignorância, e os cegos por que preferem permanecer assim. Das três situações, a última é que nos deve nos envergonhar, os cegos que querem permanecer cegos à esses desafios

m_20160422_221642png
Encerrada a Palestra do Il.'. Ir.'. NEY JORGE CAMPELO, ele recebeu das mãos do Sr.'. Pres.'. da Câmara dos Vereadores e da Sra.'. Prefeita o Diploma de Palestrante.
m_20160422_221742png
... e das mãos do Pod.'. Ir.'. HUMBERTO LOPES CEDRAZ, Dep.'. Federal, um mimo alusivo ao evento
m_20160422_221931png
Homenageando a Exma.'. Sra.'. TÂNIA REGINA ALVES DE MATOS, Prefeita do Município de Riachão de Jacuípe (BA) e nossa cunhada, o Sob.'. Ir.'. NEI INOCENCIO DOS SANTOS 33º, Gr.'. Primaz do Rito Brasileiro fez a entrega de um mimo alusivo ao evento
m_20160422_222027png
Último homenageado da noite, o Pod.'. Ir.'. JULIO CESAR DA COSTA, Sec.'. Geral de Ritualística Adjunto para o Rito Brasileiro do Grande Oriente do Brasil recebe um mimo do evento das mãos do Exmo.'. Sr.'. Vereador CÉLIO ROBERTO SILVA BRITO, Pres.'. da Câmara Municipa de Riachão de Jacuípe (BA).
m_20160422_222220png
m_20160422_222237png
Encerrada a magna Sessão Pública de Abertura do I SEMINÁRIO DO RITO BRASILEIROhouve o canto do Hino de Riachão de Jacuípe (as duas fotos acima)
m_20160422_222417png
Quando do canto do Hino de Riachão de Jacuípe, a música foi acompanhada de imagens da cidade, bem como a letra em legenda (foto acima).
m_20160422_233107png
As cunhadas da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul - Loja 14 de Agosto, no Coquetel, demonstrando descontração e satisfação pelo dever cumprido
Ao final da Cerimônia de Abertura todos foram convidados para participarem de um Coquetel servido no Salão Gourmet do Hotel.
m_20160423_083119png
Indo de Riachão de Jacuípe para Salvador, ainda nas proximidades de Riachão, o registro da beleza desse relevo evidenciando a formosura do nosso País
m_20160423_122604png
Saindo de Salvador pela Praia do Flamengo
m_20160423_122628png
Visão do litoral de Salvador (BA) desde o Farol até as dunas
m_20160423_140158png
Já em território fluminense
m_20160423_140600png
Chegando às plagas do Rio de Janeiro (RJ) passando pelo Campo dos Afonsos (foto acima) onde temos a Universidade da Força Aérea (AFA), a Base Aérea dos Afonsos e o Museu Aeroespacial

NOTICIA COPIADA DO SITE DO SUPREMO CONCLAVE DO BRASIL.